AGE360

Como as cidades podem se reinventar a partir da consciência da arquitetura?

22 de julho 2020

Live da AG7 debateu o tema e trouxe insights do sócio-fundador da Triptyque Architecture, Greg Bousquet.

Greg Bousquet – sócio-fundador da Triptyque Architecture

A pandemia nos mostrou que é preciso repensar o futuro, e nesse futuro, estão as cidades, a arquitetura e o urbanismo que juntos, podem impactar a maneira de viver de uma região. Durante uma live realizada pela incorporadora AG7, com o CEO Alfredo Gulin Neto e o sócio-fundador da Triptyque Architecture, Greg Bousquet falou-se sobre o impacto da consciência da arquitetura nas cidades e o que a pandemia mostrou para um novo futuro que se aproxima.

Das experiências passadas para a realidade atual. O renomado escritório franco-brasileiro tem um DNA francês, do antigo continente que já passou por diversas histórias de mudança de comportamento devido a causas externas, como guerras e pandemias, e há alguns anos já repensa um planejamento urbano que é pautado na mixidade. Greg contou sobre a realidade europeia e o aprendizado que a arquitetura e o urbanismo trouxeram diante do que foi vivido. “O marco da guerra é um marco que qualquer europeu deve ter. E esse marco está muito presente quando falamos em cidade e urbanismo. A cidade viveu uma grande reconstrução que marcou seu cenário urbanístico, precisou ser imediata e trouxe com ela muitos erros.” Entre os exemplos comentados está o fato de se construir subúrbios longe do centro da cidade causando um desastre social. “O planejamento urbano que temos na Europa hoje faz parte dessa consciência política e social”.

Na opinião dele, o aprendizado que tal fato trouxe sob o urbanismo da cidade está no chamado ZAC – zone d’aménagement concerte – traduzido como “zona de ordenação concertada”. “Isso mostra um diálogo entre o urbanismo, o político, o social e os moradores. Existe com ele uma mixidade dos desejos urbanísticos. Aprendemos a dessetorizar a cidade”. Greg comentou que em Paris, por exemplo, é preciso inserir 20% de apartamentos de baixa renda ou para aluguel em todo os prédios. “Isso tem uma lógica, pois todos têm seu lugar na cidade e isso não precisa ser dividido de forma geográfica. É possível também disponibilizar serviços para a população próximo aos empreendimentos. É preciso repensar a mixidade programática social”.

AGE360 – Lançamento Ecoville 2020

Na trajetória da Triptyque e o que faz dela uma marca registrada é fato de trabalhar a arquitetura em várias escalas e de forma plural. “A arquitetura, a arte, a sociologia, estão ligadas. Temos uma visão mais transversal desse universo. Consideramos o tropicalismo invertido para pegar o melhor de tudo e então fazer uma nova arquitetura. Tem a biculturalidade também. Se trabalhamos arquitetura, trabalhamos urbanismo junto. Esse diálogo é transformador e tem o poder de transformar uma cidade”.

Sobre o futuro da arquitetura, na opinião de Alfredo o arquiteto não é só quem desenha, mas quem cria temas para a vida das pessoas e do cotidiano delas. A construção é quase como um set de filmagem que você proporciona para a pessoa colocar sua rotina especial dentro dele. E o desafio é transformar pequenas coisas em conteúdos, que funcionarão como eventos, experiências e sorrisos.” Para Greg, a arquitetura é muito elástica. “Projetamos hoje mas com o foco na previsão do futuro. Estamos vendo a aceleração dos modos de viver. Esse estúdio de filmagem vai ficar e precisará de atualizações, não podemos simplesmente destruí-los daqui há tantos anos. A versatilidade nas plantas, as plantas abertas e livres para reconsiderar são importantes nesse processo”.

A live completa está disponível no IGTV da @ag7realty. Confira no link: https://www.instagram.com/tv/B_0O01mFLWy/.

AG7
ESCRITO POR AG7 Realty

A AG7 é uma boutique de negócios imobiliários que une os melhores profissionais da economia criativa como empresários, designers, arquitetos, engenheiros, paisagistas e consumidores que possuem uma certeza em comum: nossos projetos transformam a forma como as pessoas vivem no mundo.